sábado, 7 de junho de 2008

Leitura de Banheiro

Sou uma fanática leitora de banheiro... e olha que eu achava que isso era uma prática feminina, até descobrir que os homens também são.
Existem vários tipos de leitores de banheiro: os que precisam ler para “relaxar”, os que nunca tem tempo para nada e precisam aproveitar o tempo “perdido” no banheiro, os inquietos/ansiosos que precisam ocupar o tempo “ocioso” fazendo alguma coisa e, por fim, os que como eu, fazem por prazer de ler.
O primeiro tipo é engraçado, conheço o irmão de uma amiga minha que se não tivesse nada para ler no banheiro “não conseguia”... então, muitas vezes ele esperava para chegar em casa, pois ali a leitura era garantida. Para esses qualquer coisa serve: revista, gibi, panfleto de propaganda... basta ter muitas letras, algumas frases...
Para os que nunca tem tempo o banheiro é um aliado, às vezes para ler um livro que vai cair na prova ou até mesmo para terminar de ler aquele livro que está interessante e precisa devolver na biblioteca.
Para os inquietos e ansiosos a leitura não é o essencial, se a gente der um cubo mágico para eles já resolve o problema, basta ocupá-los e está tudo bem.
Para mim não, eu faço uso dessa leitura e sou criteriosa no que leio. Minha preferência são as revistas. Sem fazer nenhum merchan, eu preciso citar alguns nomes para poder chegar onde eu quero.
A eleita, a preferida é a Revista ÉPOCA. É a melhor revista para a leitura de banheiro, e não estou desmerecendo a revista, pelo contrário, é a pura verdade.
A edição, o formato e o conteúdo são o diferencial. Comparei com outras revistas de conteúdo, como a VEJA e a NATIONAL GEOGRAPHIC, mas elas deixam a desejar. A forma como a Revista ÉPOCA é editada faz com que a leitura seja fácil e ao mesmo tempo proveitosa. Tem de tudo: política, economia, entretenimento, esportes e até alguns babados das celebridades.
Como a revista é semanal, aí ela fica mais perfeita ainda, só notícias fresquinhas... um ótimo canal de informações, nada de ficar alienada e não saber de tudo um pouco, isso é fundamental no país em que vivemos.
Apesar de parecer bobeira, quem não é ou não conhece um leitor de banheiro? Isso já virou mania nacional, algo até mesmo cultural. Eu diria até mesmo folclórico, pois é muitas vezes transmitido de pai para filho.
Hoje se tornou comum ter um porta-revistas no banheiro ou então um cantinho dele reservado, sempre com algo para ler.
Agora, se você não lê nesse tempo precioso, por nenhum dos motivos citados, está perdendo tempo... seja de adquirir conhecimento ou de exercitar a leitura. Qualquer que seja o motivo, tá valendo! Vai ser enriquecedor, por mais sutil que seja.
E VIVA A LEITURA DE BANHEIRO!

Um comentário:

Ernesto disse...

Divertido foi para mim descobrir que não sou o único que tenho essa mania ou opção intelectual. Leio independende do lugar que esteja. Parabéns a blogueira que deu ao texto leveza e graça.